A criança interior no mapa astral

Você sabia que tem uma casa do mapa astral que conta como foi sua infância? A casa 3 fala sobre os primeiros aprendizados, a convivência com os irmãos, primos, vizinhos e como sentimos o ambiente ao nosso redor. Ainda, ela indica como absorvemos emocionalmente essa fase e na vida adulta é a nossa comunicação com o mundo, ou seja, o resultado de tudo que vivemos na infância.

Todos nós sabemos o quanto a infância impacta a nossa vida adulta, porém, o que a maioria não entende é que criança sente e enxerga as coisas de uma maneira muito própria e que às vezes, acontecimentos aparentemente bobos para os adultos podem ser aterrorizantes para uma criança, e que à medida que crescemos criamos mecanismos para lidar com situação que foram traumáticas e um dos recursos mais utilizados é o esquecimento…SQN. Todas essas memórias ficam
guardadas no inconsciente e vão direcionar nossas ações e decisões na vida adulta.

Nossa criança interior está ali, o tempo todo falando, querendo ser vista e cuidada e ela sempre vai reagir como criança e é muito comum adultos em situação de estresse terem atitudes infantis, até um pouco incompreensíveis para um adulto. Tenho um cliente de 35 anos, que se sentia sabotado pelas pessoas do seu convívio. Na leitura do mapa constava que durante a infância tinha alguma ocorrência traumática e ele disse que não, que a infância tinha sido tranquila, sem nenhum
evento que tivesse importância, mas como a vida estava difícil, ele optou por fazer um ciclo terapêutico pra entender o que causava esses problemas. Na primeira sessão percebi que ele emburrava em algumas perguntas sem nenhuma consciência disso aí tratamos sua criança interior e vieram as lembranças do quanto ele sofria quando a mãe saia para trabalhar. O sentimento de abandono, medo e uma certa rejeição o tomavam e uma das formas de receber mais atenção era justamente
emburrar, com isso a mãe ficava preocupada e tentava animar ele brincando, fazendo festa e ele virava o centro das atenções. O curioso é que ele não tinha nenhuma lembrança desses fatos: a memória foi acessada e depois ele confirmou com a mãe. Após isso as mudanças nas reações emocionais diárias começaram e essa mudança no comportamento impactou nos relacionamentos pessoais e profissionais e usando as palavras dele: “parece mágica a forma como as pessoas passaram a me tratar”.

Tive um outro caso muito curioso com uma moça de 27 anos que tinha uma sensação de agressão quando iniciava uma relação sexual. No começo era sutil, mas começou a evoluir até que ela começou a evitar qualquer aproximação com o namorado, que era gentil e amoroso porque a sensação era insuportável. No mapa dela constava agressão física ou psicológica na infância e imediatamente ela negou, teve uma infância ótima, foi super desejada, a mãe parou de trabalhar para se dedicar a ela, os pais tem um relacionamento excelente e estão juntos e felizes ate hoje, nunca teve parentes ou pessoas estranhas convivendo na casa e os pais são amorosos e protetores e na sessão terapêutica ela se viu bebê no berço
ao lado da cama dos pais e viu que muitas vezes acordou e viu o pai e a mãe namorando e sentia algo muito forte vindo deles e como não sabia o que era, ficou registrado como algo ruim, negativo, agressivo e era a mesma sensação que ela sentia agora, ela perguntou para a mãe se dormia com eles quando bebê e a ela confirmou inclusive a parte que não conseguiam namorar porque ela acordava e começava a chorar e que mudaram ela de quarto quando completou 1 ano
por sugestão da pediatra. Tratamos a criança interior e hoje essa moça casou com o namorado e está feliz sem nenhum resquício desse trauma. Por isso é importante conhecer o próprio mapa astral e caso tenha situações sem explicação no
seu emocional, normalmente é sua criança interior ferida pedindo ajuda e quando acessamos e tratamos a mudança é imediata!

Por Fernanda Palhares
Jornalista, radialista, astróloga e terapeuta integrativa.
Autora dos ebooks “Decifrando os Signos” e palestrante de Astrologia
@mfernandapalhares