Prevenção é importante: Apenas um único processo pode levar uma empresa à falência

Advogado Samuel Rodrigues, especialista em Direito Empresarial e Trabalhista, fala sobre a importância de contratar uma assessoria especializada

Existem diversos motivos que levam uma empresa à falência. Entre eles estão as ações judiciais. Há inúmeros casos de empresas, especificamente de pequeno e médio porte, que a ocorrência de um único processo causou a fragilidade financeira, migrando para o índice de falência.

Conforme levantamento da Serasa Experian, entre janeiro de 2021 e o mesmo mês de 2023, o número de empresas em dificuldades financeiras que se encaminharam para a falência saltou 80%.

De acordo com o advogado Samuel Rodrigues especialista em Direito Empresarial e do Trabalhista, isso não ocorre por um fato isolado e sim pela ocorrência de fatores que não estão no radar e na gestão do empresário, o qual despreza à implantação de uma assessoria que possa atuar de forma preventiva na redução de passivo trabalhista e tributário, a fim de obter saúde financeira perene. “A falta de procedimentos e normas legais são as principais causas que incidem em passivo trabalhista e tributário, ocasionando ruptura financeira irreversível”, completa.

Samuel Rodrigues Epitácio, www.instagram.com/samuelrodriguesadvogados/ do escritório Samuel Rodrigues Advogados Associados e sua Equipe, especializados em Empresarial e Trabalhista, listou os principais pontos a serem observados.

“- Conformidade Legal: Manter-se atualizado sobre legislação trabalhistas e tributárias possibilitando que a empresa esteja em conformidade com todas as regulamentações e bem como prevendo adequações legais”.
“- Planejamento Tributário: Analisar opções legais de redução de carga tributária, possibilitando deduções, incentivos fiscais e regimes especiais disponíveis para as Pequenas e Médias Empresas”.
“- Gestão de Pessoal: Implantar práticas de gestão de recursos humanos consistentes e adequada a cada modelo de negócio, com contratação adequada, elaboração de contratos de trabalho objetivos, tendo regulamento interno e gestão de pessoas, além de obter uma política de treinamento e conscientização desenhada a necessidade específica da empresa”.
“- Gestão de Horas e Férias: Efetividade no acompanhamento das horas trabalhadas, folgas e férias dos empregados, com estudo do Acordo e ou Convenção Coletiva a fim de implantar Banco de Horas, com redução de custo além de aumentar a satisfação da empresa e a flexibilidade da carga horária mensal”.
“- Políticas de Saúde e Segurança: Praticar medidas de segurança no local de trabalho para reduzir acidentes e problemas de saúde, analisando com especificidade cada cargo a fim de identificar a ocorrência de eventual insalubridade e periculosidade, implantando medidas para redução de tais fatores”.

Dentre outras práticas a serem implementadas, tais como Cultura Organizacional, Ambiência, Consciência Social, Conformidade, é imprescindível que as empresas mantenham práticas de gestão trabalhista consistentes, transparentes e alinhadas com a legislação.

“O investimento consecutivo na construção de uma cultura de respeito pelos empregados e na resolução de potenciais conflitos de forma proativa pode ajudar a mitigar riscos futuros e a proteger a reputação da empresa. Há inúmeros casos, dentro do aspecto tributário, que uma atuação preventiva possibilita reduzir a carga tributária de forma legal sem gerar inconformidades”, diz Samuel Rodrigues;

A prevenção não pode ser enxergada como um custo e sim um investimento que possibilitará à empresa atuar de forma contínua, segura e estável.

Samuel Rodrigues Epitácio, é advogado e fundador do escritório Samuel Rodrigues Advogados Associados. Especialista em Direito Empresarial e com Pós-graduação em Direito e Processo do Trabalho.