Mulheres no Conselho volume 2

Angela Seixas e a importância de se atualizar

Independentemente do negócio, é importante fazer o link dos processos em si, seja um produto ou um serviço. Alerta – você não pode construir essa nova etapa da sua vida contando apenas com a experiência vivida. É muito importante que você una sua experiência com atualização. Afinal, o mundo muda, as organizações mudam, tudo muda e você tem que adaptar-se.

 

Claudia Pitta e o realce dos valores

Consultoria, palestras, docência e conselhos são meios para atingir um propósito maior. As oportunidades profissionais que hoje me atraem são aquelas que permitem perseguir esse propósito com independência e respeitando meus valores. Para mim, os conselhos hoje são um caminho, não o destino.

 

Cynthia Hobbs e sua visão de mundo

Vivemos em um mundo cada vez mais BANI (brittle, anxious, non-linear, incomprehensible), que traduzindo para o Português seria frágil, ansioso, não-linear e incompreensível – que descreve o paradigma que a sociedade atual vive. Precisamos da consciência que não teremos o controle que gostaríamos de ter, principalmente quando falamos em uma nova posição como a de conselheira.

 

Heloisa Simão e o que mudaria em sua trajetória

O que faria diferente? Como executiva não aceitei convites para participar de Conselho em função da demanda que eu tinha no dia a dia. Hoje vejo que eu deveria ter aceitado tomar os cuidados de compliance e conflitos de interesse. A presidência é uma posição muito solitária, a convivência no conselho assim como sua própria dinâmica é enriquecedora, leva a reflexões e aprendizados importantes de liderança. Muitas vezes você “vê” no CEO da empresa um verdadeiro espelho.

 

Rosana Passos de Pádua e a importância da fé

Durante minha trajetória tentei quebrar dois paradigmas, o primeiro é sobre falar de fé no trabalho, eu nunca escondi o quanto eu creio em Deus e o quanto minha crença encaminha meus passos, decisões e certezas. Por 11 anos, junto com meu marido, fui catequista no Colégio Arquidiocesano; e o segundo, é sobre falar de amor, eu não consigo viver se não puder expressar o meu amor pelas pessoas e por tudo que me cerca. Falar de amor é abrir o coração para que os outros possam conhecer você; mais que isso, que possam reconhecer você.

 

Sandra Costa e o legado feminino

Eu, particularmente, me sinto realizada e orgulhosa de saber que temos contribuído com as comunidades em que atuamos com o entusiasmo e a mesma ousadia com que começamos, em 1984, em busca de deixar um legado responsável, e uma empresa perene e engajada com seu propósito de inspirar pessoas a cuidar de pessoas

 

 

Link do produto: https://editoraleader.com.br/mulheres-no-conselho-volume-2