O PMMA é seguro e aprovado pela Anvisa, explica a Dra. Luiza Rocha

O polimetilmetacrilato, conhecido popularmente como PMMA, é um potente bioestimulador de colágeno que por meio da produção de um tecido rico em novas fibras de colágeno irá também volumizar o local em que foi aplicado. “É o único implante permanente aprovado pela Anvisa, foi desenvolvido em 1902 e há mais de 80 anos é utilizado na medicina, não só na estética, mas em outras especialidades como cardiologia (revestindo marca passos), ortopedia (fixando implantes e corrigindo de feitos ósseos), neurologia (em reparos cranianos) e oftalmologia (na composição das lentes intraoculares usadas para corrigir defeitos de visão)”, contextualiza a Dra. Luiza Rocha. A médica que é referência em contorno corporal e volumização muscular definitiva com uso de ultrassom, fundou a Sculpt Academy,
um instituto com cursos para médicos voltados ao preenchimento com PMMA. Ela também é professora da primeira pós-graduação em preenchimentos definitivos, aprovada pelo MEC no Brasil. Um dos seus objetivos de carreira é conscientizar sobre os riscos envolvidos no uso de substâncias não aprovadas para uso médico. Muitas pessoas ainda confundem o silicone industrial com o PMMA, mas é preciso
enfatizar que os dois produtos são completamente distintos e vale salientar que a aplicação do silicone industrial é ilegal. O silicone industrial é uma substância proibida e incompatível com o corpo humano. “Sob a forma de óleo ou gel ele é aplicado em grandes quantidades no tecido subcutâneo, sofrendo migração do local em que foi aplicado e formando “poças” de produto totalmente avasculares (sem vasos sanguíneos). No caso de haver alguma infecção, o antibiótico que deve chegar através do
sangue, não consegue acessar essa área de produto contaminado, por isso a única forma de tentar tratar essa infecção é abrindo o local e drenando esse óleo contaminado”. Aprovado pela Anvisa, o uso do PMMA se for feito por um médico habilitado e experiente é muito seguro. “Qualquer produto se manuseado por quem não tem experiência pode ter consequências catastróficas, por isso é fundamental que o paciente procure um médico experiente, pois o pmma corporal só pode ser manuseado por
médicos”, ressalta.